O que lhe faltava para ser um mestre do vinho

O que lhe faltava para ser um mestre do vinho

Gosta quando, entre amigos, lhe servem o vinho para provar? E, mesmo que não saiba muito de vinhos, faz sempre aquele movimento especialista com o copo e cheira-o, antes de beber? Pois então, este artigo é para si. Conheça estas 7 curiosidades sobre vinho e partilhe-as entre amigos para deixar toda a gente de boca aberta!

1. Já que começamos o artigo a falar da prova de vinho, continuemos:

Na Grécia antiga, sempre que se servia vinho numa festa, o anfitrião dava o primeiro gole para provar que o vinho não estava envenenado. Em Roma, antes da prova, mergulhava-se um pouco de pão, para tirar sabores estranhos e acidez ao vinho. 

2. Mas em Roma, o vinho não era para todos:

Na Roma antiga, as mulheres eram proibidas de beber vinho. Se o fizessem e marido descobrisse, este tinha o direito a matá-las.

3. Saiba que o conhecedor de vinhos, vê-se até pela forma como pega no copo:

Deve sempre segurá-lo pelo pé: deixa sempre o copo limpo e translúcido, mantém o vinho fresco (no caso do vinho branco ou vinho espumante) e permite observar a cor e a claridade do vinho (no caso do vinho tinto).

4. A cor do vinho não resulta apenas das uvas utilizadas na sua produção:

Além da influência do carvalho, os climas quentes dão ao vinho tons mais escuros (tintos profundos e brancos dourados). Já as cores mais claras, especialmente em brancos, costumam vir de climas mais frios.

5. Não se engane, nem o vinho verde é verde, nem o branco feito só de uvas brancas:

“Vinho verde” é apenas uma denominação de origem (DOC) e pode ser branco, tinto ou rosé, é o caso do Vinhão Grande Escolha, que apesar de ser um "verde" é tinto. Todos estes vinhos podem ser feitos a partir de uva roxa, desde que se fermente a uva sem que as cascas entrem em contato com o mosto, pois são elas que dão cor ao vinho.

6. Aprenda a utilizar os termos “amadurecer” e “envelhecer” o vinho:

Quando um especialista fala em “amadurecer” um vinho, significa que este será armazenado em barris de carvalho até ao momento do engarrafamento; só após esse momento é que o vinho começa a “envelhecer” - quando já está na garrafa.

7. Para terminar, falemos de mais um vinho que engana pelo seu nome! O do Porto que, na verdade, não é produzido no Porto:

O vinho do Porto é um vinho natural e fortificado, produzido a partir de uvas da região demarcada do Douro, no norte de Portugal (que fica a cerca de 100 km da cidade do Porto). Tem este nome pois é exportado a partir da cidade do Porto desde a segunda metade do século XVII.

Posted on 2017-01-12 Home 0 745

Deixe o seu comentárioDeixe a sua resposta

Arquivo

Categorias

Últimos comentários

Procurar

Prev
Next